Acervos

 
Carta da esposa de Luiz Heitor

Documento cedido pela filha de Luiz Heitor, Maria Cecília, trata da venda do cervo do musicólogo para a Biblioteca do Congresso - EUA.

Existe um rico material do musicólogo distribuído nas bibliotecas públicas do Rio de Janeiro. No setor de música da Biblioteca Nacional, encontra-se um grande número de correspondência ativa com vários músicos brasileiros e boa parte de sua obra escrita; na hemeroteca, do setor de periódicos, encontra-se quantidade limitada de artigos de jornal. A Biblioteca Alberto Nepomuceno da Escola de Música da UFRJ possui toda a correspondência enviada a Dulce Lamas, a primeira dissertação de mestrado sob o tema Luiz Heitor, do Musicólogo Pedro de Moura Aragão e todo o acervo etnomusicológico coletado por Luiz Heitor, além da correspondência com várias personalidades no período de residência no Brasil, através do Centro de Pesquisas Folclóricas. Em São Paulo, o IEB-USP detém pouco mais de uma dezena de cartas doadas pelo musicólogo, através das quais manteve contatos com Mário de Andrade. O Acervo Curt Lange da biblioteca da UFMG tem uma importante documentação: a correspondência ativa e passiva do musicólogo trocada com Lange. E por último, em posse de músicos brasileiros que tiveram laços profissionais e afetivos, há também um bom número de correspondência .

Com relação à biblioteca do musicólogo, até há pouco tempo tinham-se informações imprecisas e desconexas sobre o destino dado a esse acervo, cujo paradeiro era inclusive desconhecido pelas pessoas mais próximas do musicólogo, aqui no Brasil. Segundo informações documentais, cedidas pela família de Luiz Heitor, a Biblioteca foi vendida pela viúva do musicólogo, Sra. Violeta Correa Azevedo pelo valor de U$ 35.000,00, para a Biblioteca do Congresso de Washington– USA, em 1999. Seu acervo, porém, não está disponível para consulta, na biblioteca americana. Segundo o setor da divisão de música daquela instituição, ainda não há previsão de catalogação do extenso material.