Música Artística

 

Luiz Heitor revela-nos, também, um tipo de narrativa que destaca o Brasil como um país que solucionou o grande problema de então: sua independência criativa da música de tradição européia (Azevedo, 1950:15):

The Discoteca Collection: Missão De Pesquisas Foclóricas

The Discoteca Collection: Missao De Pesquisas Focloricas

Vede o que é a sua música: num Continente inteiro que ainda não conseguiu libertar-se da formidável tutela européia, na tarefa de criar novas formas de expressão sonora, um país realizou integralmente a sua independência artística: [...] hoje, a música brasileira é olhada com respeito e interesse porque nossos Mestres a tornaram diferente rica em elementos próprios e sugestões originais. Na verdade a situação privilegiada que conquistamos, no que diz respeito à criação musical, vai muito além da média de outras atividades artísticas, intelectuais ou materiais, em nosso país.

O musicólogo revela uma postura de defesa da “música artística”, forjada com base na formação étnica e cultural do povo brasileiro constituído pelas três raças (o negro, o branco e índio).